Archive for julho, 2009

ECKHART TOLLE. “UM NOVO MUNDO”.

Trecho de “Um novo mundo” de Eckhart Tolle.

Ao erguer os olhos para o céu claro à noite, você pode compreender com a
maior facilidade uma verdade que é ao mesmo tempo simples e
extraordinariamente profunda. O que é que você vê lá em cima? A Lua, os
planetas, as estrelas, a faixa luninosa da Via Láctea, quem sabe um cometa
ou até mesmo a vizinha Galáxia de Andrômeda a 2 milhões de anos-luz.
Sim, mas simplificando ainda mais, o que você vê? Objetos flutuando no
espaço. Então, o que forma o universo? Objetos e espaço.
Se você não fica sem palavras ao voltar seus olhos para o céu numa noite
clara, então não o está observando de verdade, não está consciente da
totalidade do que há ali. Provavelmente, está focalizando apenas os objetos
e talvez tentando nomeá-los. Caso alguma vez você tenha se maravilhado
ao olhar para o espaço – e talvez até sentido um profundo respeito diante
desse mistério incompreensível -, isso mostra que abandonou por um
momento seu desejo de explicar e rotular e se tornou consciente não só dos
objetos como da profundidade infinita do espaço em si mesmo. Deve ter
permanecido silencioso o bastante em seu interior para notar a vastidão em
que esses mundos incontáveis existem. O sentimento de admiração não
decorre do fato de que há bilhões de mundos ali, mas da profundidade que
contém todos eles.
Não conseguimos ver o espaço, é claro. Também não podemos ouvi-lo,
tocá-lo, nem sentir seu gosto e seu cheiro. Então, como somos capazes de
saber que ele existe? Essa pergunta aparentemente lógica contém um erro
fundamental. A essência do espaço é a imaterialidade, portanto ele não
“existe” no sentido convencional da palavra. Apenas as coisas – formas –
existem. Até mesmo chamá-lo de espaço pode ser enganador porque, ao
nomeá-lo, nós o transformamos num objeto.
Vamos considerar da seguinte maneira: existe algo dentro de nós que tem
afinidade com o espaço, e é por isso que somos capazes de ter consciência
dele. Consciência dele? Isso não é totalmente verdadeiro também porque,
como podemos ter consciência do espaço se não existe nada lá de que
possamos ter consciência?
A resposta é ao mesmo tempo simples e profunda. Quando estamos
conscientes do espaço, não estamos de fato conscientes de nada, a não ser
da consciência em si – do espaço interior da consciência. Por nosso
intermédio, o universo vai se tornando consciente de si mesmo!
Quando o olho não econtra nada para ver, essa imaterialidade é entendida
como espaço. Quando os ouvidos não encontram nada para escutar, essa
imaterialidade é compreendida como silêncio. Quando os sentidos, que
existem para perceber a forma, encontram a ausência da forma, a
consciência sem forma que está por trás da percepção e torna possível toda
percepção, toda experiência, não é mais obscurecida pela forma. Quando
contemplamos as profundezas insondáveis do espaço ou escutamos o
silêncio nas primeiras horas do dia logo após o nascer do Sol, alguma coisa
dentro de nós faz eco a isso como um reconhecimento. Então sentimos a
enorme profundidade do espaço como nossa e sabemos que esse precioso
silêncio que não tem forma é mais essencialmente nós mesmos do que
qualquer das coisas que formam o conteúdo da nossa vida.
Os Upanixades, os antigos textos sagrados da Índia, referem-se a essa
mesma verdade com as seguintes palavras:
O que não pode ser visto pelos olhos, mas por meio do qual os olhos
podem ver, é unicamente Brama, o Espírito, e não o que as pessoas aqui
adoram. O que não pode ser escutado pelos ouvidos, mas por meio do qual
os ouvidos são capazes de ouvir, é unicamente Brama, o Espírito, e não o
que as pessoas aqui adoram… Aquilo que não pode ser compreendido pela
mente, mas por meio da qual a mente consegue pensar, é conhecido
unicamente como Brama, o Espírito, e não o que as pessoas aqui adoram.
Trecho de “Um novo mundo” de Eckhart Tolle, capítulo “No universo
exterior assim como no universo interior”, Editora Sextante, pág 191.

Fonte: www.scribd.com

Anúncios

julho 29, 2009 at 2:04 pm Deixe um comentário

ALIMENTOS ORGÂNICOS.

Alimentos Orgânicos ou Covencionais? Você escolhe.

81387518, Karin Dreyer /Blend Images

O consumo de alimentos sem aditivos químicos, os chamados orgânicos, aumenta na mesma medida da preocupação do brasileiro com os efeitos sobre a saúde de pesticidas, hormônios de crescimento, antibióticos e outros produtos químicos mais usados por agricultores. No entanto, não é apenas isso que seduz os brasileiros. Além de se relacionarem à qualidade de vida, os produtos orgânicos têm forte apelo ecológico.

Geralmente os produtores desses alimentos preocupam-se em preservar o local onde os mesmos são cultivados. As nascentes de água são protegidas, as áreas desmatadas são reflorestadas, os animais e vegetação nativos são preservados e não se faz uso de queimadas. Por tudo isso, é cada vez maior o contingente de pessoas que buscam por esse tipo de alimentação especial. Para se ter uma idéia, há quatro anos atrás a produção agrícola brasileira de orgânicos era praticamente insignificante. Hoje esses alimentos já respondem por mais de 2% de toda produção e de acordo com o International Trade Center, no Brasil o mercado está expandindo ao ritmo de 40% ao ano.

Alimentos orgâncos X alimentos convencionais

O emprego de aditivos tóxicos para elevar a produtividade das lavouras é muito antigo. No ano 3000 a.C., manuscritos chineses já indicavam o uso de arsênico e de enxofre para matar pragas na lavoura. Entretanto, os agrotóxicos industriais somente começaram a ser utilizados durante a Segunda Guerra Mundial. De acordo com a maioria dos especialistas, a aplicação controlada de fertilizantes, defensivos agrícolas e outros produtos químicos não causa danos à saúde, não existindo pesquisas científicas conclusivas que atestem que a ingestão dessas substâncias em pequenas doses através dos alimentos, causem males à saúde.

No entanto, o que preocupa esses mesmos especialistas é o uso indevido e/ou abusivo desses produtos químicos por parte dos produtores, o que pode causar efeitos crônicos a longo prazo, como determinados tipos de câncer, diminuição da fertilidade (redução do número de espermatozóides) e até a má formação de fetos (esses efeitos foram observados em pessoas expostas a agrotóxicos, em sua maioria agricultores).

De acordo com o Instituto Biológico de São Paulo, o uso de agrotóxicos no Brasil inspira cuidados. Análises realizadas com o objetivo de medir a quantidade de defensivos agrícolas em vegetais, mostrou que os alimentos recordistas em resíduos são o morango e o tomate. Além disso, verificou-se casos de aplicação de pesticida em culturas para as quais o produto não foi autorizado. Por tudo isso, o Brasil foi incluído num relatório da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO) como um país onde há exagero no uso de agrotóxicos.

Na agricultura orgânica, essas substâncias químicas passam longe. Em vez de utilizar fertilizantes artificiais, os produtores usam geralmente estrume esterilizado, farinha de peixe, de osso, humus de minhoca, adubo composto (que é produzido através de lixo orgânico), entre outros. Para controlar pragas e insetos, os agricultores lançam mão do controle biológico, ou seja, a utilização de insetos predadores, microorganismos e plantas que podem arrasar com pulgões, lagartas e moscas que atacam as plantações. As joaninhas, por exemplo, são inimigas dos pulgões, a bactéria Bacillus thuringiensis (BT) aniquila a lagarta da couve e plantas como o alecrim, calêndula e alfavaca-do-campo inibem, respectivamente, o aparecimento das bruxas da couve, do mosquito da ferrugem da cenoura e das cigarrinhas que atacam os feijões.

Vantagens e desvantagens dos orgânicos

Há apenas poucos anos, os alimentos orgânicos só podiam ser encontrados em lojas de produtos naturais ou em mercados e feiras de pequenos agricultores. Hoje, já é possível encontrá-los em grandes redes de supermercados, sendo comercializados junto a outros produtos convencionais. Além de alimentos de amplo consumo, como arroz, feijão, frutas, hortaliças, a agricultura orgânica está produzindo um pouco de tudo: desde erva-mate, castanha de caju, guaraná, até chocolate, vinhos e carnes, frangos e ovos que não contém nenhum tipo de hormônio.

Além de serem isentos de agrotóxicos, os alimentos orgânicos tendem a ser mais saborosos que os tradicionais. O brócolis, o morango e o tomate, por exemplo, teriam um sabor muito mais pronunciado que aqueles cultivados normalmente. Há quem diga que a carne de galinha, porco e boi que se alimentam ao ar livre (criados sem confinamento) e não recebem hormônios de crescimento também têm sabor diferente, em comparação com os criados “industrialmente”. Em geral, seriam carnes mais magras e mais saborosas.

Outro ponto que tem sido objeto de muita investigação, e que seria mais uma vantagem dos orgânicos, seria o fato desses alimentos apresentarem vantagens nutricionais. Embora ainda exista muita discussão a respeito desse assunto e não haja consenso científico sobre o tema, existem vários estudos sendo realizados na tentativa de provar que os produtos livres de agrotóxicos são também mais nutritivos que os convencionais.

Mesmo sabendo que a genética da planta, o clima, a irrigação e a época da colheita têm um impacto muito maior no conteúdo nutricional do que o tipo de fertilizante usado, natural ou artificial, existem estudos como o realizado por pesquisadores da Universidade Estadual Paulista (UNESP), em Botucatu, mostrando que cenouras cultivadas sem agrotóxicos têm uma maior durabilidade (tempo de conservação é maior) e apresentam maiores teores de vitamina A e betacaroteno.

Outro estudo, este realizado pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), irá comparar os teores de carotenóides de cenouras e alfaces plantados sem pesticidas no cinturão verde de São Paulo com aqueles cultivados de modo convencional. A intenção é utilizar amostras que vêm direto do produtor, já que de acordo com os pesquisadores as análises com amostras cultivadas em hortas experimentais não refletiriam necessariamente a realidade das plantações.

As duas principais “desvantagens” dos alimentos orgânicos dizem respeito à aparência e ao custo. Por serem cultivados naturalmente, geralmente esses alimentos tendem a ser menores e ao mesmo tempo, alguns também podem apresentar manchas na casca devido aos ataques de insetos. A cor também pode não ser uniforme e tão intensa quanto a alcançada através da utilização de corantes ou ceras (o que é feito em alimentos convencionais).

Por isso, sempre que você observar frutas e hortaliças perfeitos, brilhantes, sem um mínimo defeito, pode ter certeza que nesse alimento houve aplicação de agrotóxico. Já os preços, geralmente um pouco mais altos do que os convencionais, é tido como um empecilho para que boa parte da população tenha acesso a essa alternativa saudável. De acordo com os entendidos, os preços só devem diminuir quando a produção e o consumo aumentarem, mas já existem pesquisas mostrando que sete em cada dez pessoas pagariam até 30% a mais por produtos sem aditivos químicos, desde que não houvesse dúvidas sobre sua procedência (pesquisa do Instituto Gallup).

Como saber se um alimento é orgânico?

Se você pretende consumir alimentos orgânicos fique atento para não ser enganado. Procure sempre pelo selo de qualidade emitido por certificadoras reconhecidas pelo Ministério da Agricultura. São entidades como a Associação de Agricultura Orgânica (AAO), o Instituto Biodinâmico (IBD), entre outros. Essas entidades, ao todo cerca de 30 em todo Brasil, avaliam se a produção do alimento segue os critérios estabelecidos pela agricultura orgânica. Para ganhar o selo, os produtores seguem várias precauções e têm suas lavouras fiscalizadas de seis em seis meses. A presença do selo garante, portanto, a procedência e a qualidade dos produtos.
Jocelem Salgado – Profª. Titular em Nutrição LAN/ESALQ/USP/Campus, Piracicaba

julho 27, 2009 at 6:34 pm Deixe um comentário

SABEDORIA EM TODOS OS MOMENTOS.

82098614, ballyscanlon /Digital Vision

                                              CLASSE É CLASSE

O marido chega em casa as 18:00h e diz a mulher que teria uma reunião às 22:00hs, mas que ele não iria pois considerava isto um absurdo. Mas a Mulher, preocupada com o marido, o convence que o trabalho é importante. O maridão esperto então vai tomar um banho para se preparar e pensa: “Foi mais fácil do que eu pensava!”

Como toda mulher, quando o homem entra no banho ela revista o bolso do seu paletó e encontra um bilhete onde estava escrito:

“Amor,estou esperando por você para comermos um pato ao molho branco. Beijão, Sheila”.

Quando o marido sai do banho encontra sua mulher com uma camisolinha transparente, sem calcinha, toda fogosa deitada de bruços. O marido, ao ver aquela abundância sob a transparência não resiste… A mulher lhe dá um trato completo e ele, exausto, vira pro lado e adormece. Quando vai chegando a hora, a mulher acorda o marido, que não quer mais ir a reunião, mas novamente ela o convence da importância do trabalho.

Ao chegar na casa da amante, o cara está arrasado. Cansado diz a ela que hoje trabalhou muito e que só iria tomar um banho e Descansar um pouco. Como toda mulher, ao entrar no banho ela revista o bolso de seu paletó, e Encontra um bilhete onde estava escrito:

“Querida Sheila, o pato foi, mas o molho branco ficou todo aqui. Beijão, A Esposa.”

(Luis Fernando Verissimo)

julho 21, 2009 at 4:03 pm Deixe um comentário

OS 10 MANDAMENTOS DO CÃO.

88566238, Tim Scott /Taxi

1- A minha vida deve durar entre 10 e 15 anos. Qualquer separação será muito dolorosa para mim.

2- Dá-me tempo para que eu possa perceber o que queres de mim.

3- Tem confiança em mim. É fundamental para o meu bem estar.

4- Não fiques zangado comigo por muito tempo. Não me prendas em nenhum lugar como punição. Tu tens o teu trabalho, os teus amigos, as tuas diversões. Eu só te tenho a ti.

5- Fala comigo de vez em quando. Mesmo que eu não entenda as tuas palavras, compreendo muito bem o teu tom de voz e sinto o que estás a dizer-me. Isso ficará gravado em mim para sempre.

6- Antes de me bateres lembra-te que tenho dentes que podem ferir-te seriamente, mas que nunca vou usá-los em ti.

7- Antes de me censurares por andar vadio, preguiçoso ou teimoso, pergunta antes se há alguma coisa a incomodar-me- Talvez não esteja a alimentar-me bem. Posso estar constipado. O meu coração pode estar a ficar velho e cansado.

8- Cuida de mim quando eu for velho. Tu também vais ser.

9- Não te afastes de mim nos meus momentos díficeis ou dolorosos. Nunca digas “prefiro não ver” ou “faz quando eu não estiver presente”.

10- Tudo é mais fácil para mim se estiveres ao meu lado.

julho 16, 2009 at 8:43 pm Deixe um comentário

APRENDENDO COM MICHAEL JACKSON.

Com a morte do cantor Michael Jackson, podemos tirar algumas lições de vida, aprender um pouco mais sobre nós mesmos e rever onde estamos errando.

Verificando todos esses dias os noticiários, as homenagens, as reportagens, nota-se que somente agora o Michael Jackson está sendo  exposto de uma forma verdadeira ou pelo menos quase. De minha opinião pessoal  eu vejo no Michael, um homem doente da alma, um homem triste, enclausurado no próprio passado. Talvez ele não conseguiu ou não quizesse se libertar de seus traumas, de suas dores, ou ainda não tivesse consciência deles ou que poderia se libertar.

Todos nós temos traumas, e  que se não olharmos para dentro, e  não tomarmos consiência deles, eles perpetuarão em nossas vidas, fazendo dessa forma uma vida de sofrimentos.

Quando somos crianças sofremos algumas agressões físicas, outras verbais, e muitas vezes em nome do amor, nos matam interiormente, não deixando ser quem somos para sermos o que eles querem, não respeitam nossas vontades e nem nosso ser.  Mas acabamos  crescendo,  e se deixarmos a raiva dominar nosso ser, e não perdoarmos, nós acabamos sofrendo de uma forma ou de outra, porque a dor existe e continua a dominar.

Quantas vezes damos poder ao outro? várias é minha resposta. Quando damos poder ao outro, esquecemos de nós, que somos únicos e que mercemos o amor e respeito primeiramente de nós e depois dos outros. Nosso poder é passado para a mão dos outros quando damos mais importância para que o outro pensa a respeito de nós, e acabamos nos influenciando e mudando muita coisa em nós. Ex: Michel deu poder para os outros quando dava importância para o que era dito de seu nariz e de suas espinhas e acabou não aceitando sua aparência, nunca fazendo as pazes com seu nariz. Que possamos aceitar nosso corpo do jeito que ele é, que amemos nosso corpo sempre.

Quem já não julgou uma pessoa? um fato? Todos nós ou quase o mundo inteiro. Imagina  como você se sentiria se te acusassem de pedofia, de abusos infantis, muito mal, mas muito mesmo, várias emoções são afloradas, a raiva, a triteza, a magoa, a angustia, o medo, sentimento de injustiça, e tantos outros. É mas você pode pensar quem não deve não teme, porque dar importância para os outros, minha conciência está tranquila.  Uma acusação desse tipo é grave, pois está e jogo muita coisa, a liberdade, a vida de uma pessoa em si, a carreira, a família, a desconfiança  das pessoas etc. Uma pessoa que  já foi acusada por um crime que não cometeu, sabe o quanto desgastante é, e  que para muitas delas a vida parece acabar, dificilmente conseguem  se livrar desse trauma, acabam se afundando em antidepressivos, ansiolítcos, calmantes e outras drogas. Parece que foi isso o que aconteceu com o Michael, uma das irmãs disse que ele depois das acusações se fechou em si cada vez mais, e pelo que dá a entender essas acusações eram falsas, pois um dos meninos disse a imprensa que foi obrigado pelo pai, por causa do dinheiro de Michael. Um ato de acusação, de julgamento, de caluniar pode sim matar uma pessoa internamente uma pessoa que é despreparada para lidar com a maldade do mundo. Por isso não vamos julgar, e vamos ser preparados para lidar com a maldade dos outros, vamos aprender a proteger nossas emoções.

Nossa vida é repleta de altos e baixos, de coisas boas e ruins,  temos que aprender a lidar com isso tudo, a ter força para enfrentar a vida e não nos refugiarmos em medicamentos que trazem sensação de bem estar. Uma grande parte da população é vicida nesses medicamentos, e esquecem que buscar sua força interna. Esses medicamentos apenas causam mais mal ao ser humano do que bem, seu beneficio é muito pequeno em relação aos efeitos colaterais que eles causam. O Michael é prova disso.

Todos nós somos crianças em agumas horas da vida, e isso é muito bom. Temos uma criança interna que precisa de nosso reconhecimento e amor, então que amemos essa criança, e que deixemos ela brincar de vez enquando, vamos ser criança, vamor rolar na lama, brincar de esconde esconde, ir ao parque se divertir, pular amarelinha, deixe de ser um adulto sisudo. O Michael quando adulto deixou sua criança se exteriorizar, não podemos julga-lo se ele era uma eterna criança, ou se sabia dividir seu adulto da criança, apenas quem convivia com ele pode ter uma ideia mais concreta sobre isso.

Toda pessoa pública é alvo de muitas coisas, elas tem que saber proteger suas emoções muito bem, porque se não acabam se perdendo nas ladeiras da mídia, e esta, muitas vezes é muito ingrata e perversa, acaba por matar uma pessoa interiormente, e o resultado pode ser catastrófico. 

O Michel Jackson  nos deixou muitas lições vida, eu aprendi muito esses dias, e que  quando eu lembrar dele, eu lembre de seu sorriso de criança.

Cristiane Renata C.C.A.Silva.

julho 14, 2009 at 8:21 pm 1 comentário

OSHO. Criando a própria vida.

 

Criamos continuamente possibilidades em torno de nós, mas nos surpreendemos quando elas acontecem.
Vigie bem suas idéias e observe como elas criam sua vida. Se alguém pensa que é um fracasso, que não vai fazer nada na vida… Realmente, essa pessoa não irá fazer nada porque sua idéia está criando essa realidade!
Quanto mais ela achar que não,
Cria-se um círculo vicioso!
Quem pensa que vai ter sucesso, é bem-sucedido.

Experimente e você ficará admirado; algumas vezes, nem vai acreditar.
Se um homem pensa que jamais encontrará um amigo, ele não encontrará.
Ergueu em torno de si a muralha da China. Não está disponível e pronto! Ele precisa provar que sua idéia está certa e… Mesmo que alguém se aproxime com grande cordialidade, será rejeitado porque ele precisa provar sua idéia; está muito comprometido com ela!
E pouco a pouco todos se tornarão seus inimigos.
Por isso, observe bem o que pensa e o que deseja… Observe a sua mente.
Você está constantemente criando o que vai colher da sua vida… Quer chova ou faça sol.
Se é assim, melhor que faça sol, não é mesmo?

Texto retirado do livro Vá com Calma, de Osho

Fonte: www.pensador.info

julho 4, 2009 at 8:51 pm 1 comentário


Calendário

julho 2009
S T Q Q S S D
« jun   ago »
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031  

Somos todos um